Meteoritos

 
São fragmentos de rochas que se formaram no vácuo do espaço há aproximadamente 4,5 bilhões de anos. Na mitologia, eram conhecidos como “pedras de raio”, considerados até como a ponta do relâmpago e, por caírem do céu, foram muitas vezes conservados e até venerados por trazerem embutidos em sua natureza o “poder dos céus”. Esses objetos extraterrestres ao atravessarem a atmosfera, ficam luminosos devido ao atrito com o ar, sendo chamados de meteoros ou estrelas cadentes e seu contato com a superfície terrestre resulta no termo meteorito.
 
Por quase não sofrerem nenhuma modificação ao longo do tempo, a queda desses objetos nos ajudam construir a paisagem ao longo do tempo, permitindo estudar as condições iniciais e a composição real do sistema onde vivemos. O que sabemos sobre o núcleo terrestre é indicado por meteoritos metálicos compostos por ferro e níquel, provavelmente núcleos de outros planetas/asteroides que se fragmentaram após passarem por um processo de diferenciação, ou seja, separação de núcleo, manto e crosta.
 
Os meteoritos são formados por minerais e ligas de ferro-níquel, possuindo características próprias que os diferenciam das demais rochas. Até hoje, pouco menos de 200 crateras foram descobertas em toda a Terra, e no Brasil há apenas outras cinco crateras reconhecidas. Geralmente, o nome dos meteoritos é dado de acordo com a cidade ou região em que foram encontrados, ou seja, recebem um nome relacionado ao local de queda.
 

 

Artigos e Trabalhos

Esta seção está em branco.